ZUZU FONTES

PLUS SIZE MODEL

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

PROFISSAO: MODISTA

                                                       Renata Marucci
Moda é, para muitos, sinônimo de glamour, sonho e festa. Mas pode ser muito mais. Quem trabalha no setor garante que a carreira é boa e está em ascensão. Se você gosta de inventar moda, confira agora as várias áreas em que poderá atuar.
As mais almejadas são as de estilista e de modelo/manequim, mas existem também outras opções: desenvolvimento de produtos, consultoria de imagem, modelismo, direção de desfiles, produção de moda, agenciamento de modelos, fotografia de moda, figurino e edição de moda.
Exigências
Para a maioria das carreiras, um bom curso de moda acompanhado de uma especialização preparam o profissional para o mercado. As exceções são:
- modelo/ manequim: exige do candidato características físicas (peso, altura e beleza ou aparência exuberante), curso de modelo e parceria com uma boa agência;
- agente de modelo: deve ter olho clínico e conhecimentos de moda, marketing e relações públicas;
- editor de moda: deve ser formado em jornalismo, além de moda;
- fotógrafo: não precisa ter formação em moda, mas deve fazer muitos cursos de fotografia e de iluminação para fazer um bom trabalho. Outra boa opção é trabalhar como assistente de fotógrafos já consagrados para adquirir experiência.
Em todas as áreas, é preciso dominar as tecnologias, ser criativo e dinâmico, propor novas idéias e gostar de agito. Um fator importante que pode diferenciar o profissional é a "cultura de moda", que pode ser adquirida no dia-a-dia, por meio de leituras e acompanhamento das tendências mundiais do setor.
Saber aliar o bom gosto à técnica é outro requisito essencial. A consultora de imagem Silvana Bianchini ressalta que "ter uma visão macro e um bom olhar sobre as coisas é muito importante, além de muita perseverança".
O Mercado de Trabalho
Raquel Valente, professora e coordenadora dos cursos de graduação e pós-graduação de Moda da Faculdade Santa Marcelina, afirma que "o mercado vive um momento muito bom e passa por um processo de profissionalização, favorecendo aqueles que estão realmente preparados". Ela explica que o mercado é competitivo, mas revela um número animador para quem realmente deseja seguir o caminho da moda. "Cerca de 90% dos alunos formados pela FASM saem empregados", diz a professora.
A carreira de modelo e manequim é uma das mais "quentes". Sempre há espaço para um novo rosto, afinal, as passarelas e as agências estão constantemente em busca de um novo sucesso para apresentar ao mercado. Com vocação e características que preencham as exigências, o próximo passo é procurar uma boa e renomada agência de modelos, pois assim você receberá orientações de como se comportar, fará cursos preparatórios e terá um "book". O "book" é um álbum onde ficam reunidas as melhores fotos do modelo, utilizado pela agência para apresentá-lo aos clientes.
A indústria têxtil é outro ramo que vive um crescimento acelerado e tem contratado cada vez mais formados em moda para pesquisas de texturas, estampas e tecidos. É o ramo que atualmente oferece as melhores oportunidades, pois paga bons salários, reúne empresas sólidas e proporciona viagens profissionais.
Você vai encontrar também boas chances de seguir carreira na área de consultoria de imagem. Para isso, é muito importante fazer um bom curso de moda, uma especialização - de preferência no exterior - e manter uma boa rede de contatos.
O Curso
O curso de Moda tem duração de quatro anos e exige muita disposição e criatividade, pois 70% das aulas são práticas. A teoria é composta de matérias como história da arte, informática, sociologia, teoria da comunicação, tecnologia têxtil, marketing e administração.
Faixa Salarial
Essa é uma das áreas onde a faixa salarial é mais variável. O cachê dos modelos pode ir de cerca de 500 a 20 mil reais. Já um estagiário de moda recebe cerca de 700 reais. O recém-formado ganha em média 2,5 mil reais. Consultores de imagem em início de carreira cobram 75 dólares (cerca de 150 reais) por hora. Esses valores foram informados por profissionais do setor, já que não há ainda no Brasil um sindicado que regulamente todas as profissões.
Onde estudar